Porque escolhi um professor francês para o atelier de teatro e cinema

24.7.18
'Pourquoi pas', foi a resposta que o Hugo me deu quando lhe perguntei se ele não gostaria de vir dar um atelier de teatro a Portugal, destinado a crianças entre os 9 e os 12 anos.






E assim foi: começámos a falar, a desenhar a ideia e a montar o projeto.
2017 correu muito bem e decidimos arriscar 2018 com uma novidade: incluir a vertente de cinema na própria peça. Ideia espectacular, onde se trabalharam duas dimensões e onde os miúdos puderam ser 2 personagens diferentes numa mesma peça, tornando estes 15 dias ainda mais completos. Para além disso, a escolha do tema, o enredo e a construção das personagens foi inteiramente da responsabilidade das crianças com o devido acompanhamento do professor. Em todos os momentos, os miúdos sentiram-se tidos e achados e interventivos!



A questão que deu origem à peça foi colocada logo no 1º dia 'Em que tipo de mundo gostariam de viver?' Assim nasceu Because Total, onde se misturam sonhos com a realidade dos dias e onde os miúdos podem ser quem desejam ser no futuro! Os filmes foram realizados pelo João Ribeiro, antigo aluno da Escola Árvore. Nele mostram-se os sonhos de cada um e a apresentação ganha outra dimensão. Com efeito, o João foi determinante para a realização deste projeto. Durante dois dias filmámos na rua, na praia, em casa e num armazém - e estes vídeos não poderiam ser feitos de forma amadora, caso contrário não teríamos o resultado que tivemos e iriam levar muito mais tempo. A concentração e a definição de objectivos foi crucial! Assim como a presença da Helene, no apoio com tudo o resto! Grande trabalho de equipa, é o que vos digo!



Entrevista no Porto Canal | Olá Maria




Mais do que a experiência de se fazer teatro, fica a experiência do atelier, do grupo e do trabalho desenvolvido. Durante 15 dias, o Hugo esteve com um grupo de 8 miúdos das 10h00 às 16h30. Se é verdade que é exigente trabalhar com crianças entre os 9 e os 12 anos, também é verdade que os dias se passaram com relativa tranquilidade. E é esta tranquilidade que explica a minha escolha.



Descontração e concentração antes da apresentação final



O Hugo é formado pelo reputado Conservatório Nacional Superior de Arte Dramática. Mas não é apenas a sua formação académica que lhe dá competências para trabalhar e explorar o potencial de cada miúdo. É a forma como ele trabalha com eles. Ao longo destes 15 dias vi-o relacionar-se com cada um dos alunos com imenso respeito, curiosidade por quem eles são e sem nunca ter tido uma atitude paternalista. Se parece que isto vai de si, a verdade é que nunca o vi ser condescendente nem tratar nenhuma criança como uma criança e antes como uma pessoa, por inteiro. A ver se me explico melhor. Se é verdade que ali estavam crianças, e que é necessário adaptar o trabalho, munir-se de mais paciência, também é verdade que o Hugo as tratou por igual, explorando em cada uma delas todo o seu potencial e revelando o talento de cada um (e isso viu-se na escolha das personagens).


Escolher um professor que tenha esta capacidade e visão e que reuna todas estas características é francamente difícil. Nunca correria o risco de pôr o nome da Escola num projecto, sobretudo num projecto com crianças, se não estivesse certa da pessoa com quem estou a trabalhar. E isso não tem preço. Temos muita vontade que o Hugo aprenda português mas enquanto isso não acontecer, vai continuar a ser em francês!

Para o ano há mais!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share