5 livros sobre as emoções e 3 dicas fundamentais para as emoções à flor da pele...

4.10.17



Há  dias em que a intensidade das emoções pode ser difícil de lidar e são várias as formas que podemos usar para ajudar os miúdos a gerirem esse mundo que pode ser muito turbulento.


CHAMAR NOMES

Uma das estratégias é dar um nome ao que sentimos.

Imagina que o teu filho concorre a delegado de turma e não ganha. É natural que fique triste.

Imagina que o teu filho andou o ano todo a treinar para um campeonato de ténis e não vai além dos quartos de final. Fica desapontado, frustrado ou até envergonhado.



A nossa tendência natural é dizer-lhe

‘Deixa lá, não faz mal, para o ano vais ver que consegues.’

‘Não fiques assim, é a vida.’



Mas ele tem todo o direito de se sentir da forma como se está a sentir porque é, efectivamente muito difícil de lidar com tudo isso. Desvalorizar não é a resposta.


A melhor resposta talvez esteja em algo próximo do:


‘Estás tão triste por não ter ganho, vê-se na tua cara. Está a ser difícil lidar com isso, não está?’

‘Estás tão desanimado por não teres conseguido passar dos quartos de final… treinaste tanto e sentes que é injusto este desfecho, é assim?’



Se podemos dizer ‘não faz mal’, logo a seguir? Poder podemos mas a verdade é que naquele momento até faz. E pode fazer muito mal. Então se o teu filho se está a sentir assim não lhe digas isso.


No livro Crianças Felizes podes encontrar, no 3º capítulo, mais sobre gestão das emoções e resiliência. Se queres saber mais sobre o assunto podes sempre inscrever-te numa das nossas ações.


CONTAR HISTÓRIAS

Para que nada te falte, deixamos uma lista de livros que podes usar para falar sobre emoções. Estes livros foram referenciados pelos nossos alunos da Pós-Graduação. Vale a pensa dares uma vista de olhos e levares alguns aí para casa:

Emoções e sentimentos ilustrados, de Paulo Moreira;
O monstro das cores, de Anna Llenas
A zebra Camilla, de Óscar Villán e Marisa Núñez
Orelhas de Borboleta, de Luísa Aguilar, ilustração André Neves
As mãos não são para bater, Martine Agassi

 


Mas também podes aproveitar outros livros e, sem forçar, realçar a importância de certas emoções, valores e comportamentos. Sugiro ainda que fales sobre ti e sobre como também tens momentos em que nem sempre é fácil gerir o que vai aí dentro.



TODO OUVIDOS

Ao mesmo tempo, devemos poder oferecer aos nossos filhos tempo de escuta à séria. Escutar apenas porque sim - aceitando o outro naquilo que ele é, mesmo no pior. E é mais fácil dizer isto do que fazê-lo. No outro dia uma amiga contava-me que a forma como os pais aceitaram as suas escolhas pessoais foi tão importante porque a ajudou a ser mais forte perante os outros. E hoje sabe que não foi nada fácil para eles e admira-os ainda mais por isso: por terem sido capazes de estarem junto a ela, mesmo nos momentos mais feios.




2 comentários:

  1. "A preocupação do Gaspar", um livro muito giro sobre a ansiedade nas crianças ;)

    ResponderEliminar
  2. Eu recomendo todos os livros de Anna Llenas! São espectaculares! Adoro o "gosto de ti quase sempre" (acho que se traduz assim), é fantástico para pequenos e grandes!
    Adorei o post! Todos os dias experimentamos tantas emoções... é imprescindível saber lidar com elas! Obrigada pelo teu trabalho Magda!

    ResponderEliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share