Conflitos entre irmãos: quando quase nada funciona!

8.11.16
Foto: WYM


A propósito deste post, recebi alguns emails com questões específicas e que aproveito para responder por aqui - tenho fases em que não consigo responder a tudo individualmente.

'Magda, estou muito interessada em frequentar o curso de mediação escolar que está a divulgar. Apesar desta situação não estar relacionada com a parte escolar, tenho a certeza que é muito parecido.
Quando os meus filhos se pegam eu vou lá e ajudo-os sempre que vejo que tenho de intervir. Sou empática, procuro ser imparcial e colocá-los no lugar do outro. Mas fico chateada quando, por exemplo, pergunto ao mais velho "Como é que tu te sentirias se a tua irmã fizesse o mesmo?" e ele me responde 'Bem!" ou não me responde nada. É incapaz de ser empático e de mostrar remorso. 
O que é que devo fazer a seguir?'

Esta é uma questão muito interessante.
Sim, a criança saberá o que sentiria naquela situação mas algumas crianças, quando são expostas desta forma ficam inseguras e sentem-se ameaçadas.
Então a melhor forma é dizermos o que sabemos, sem as questionarmos.
Como assim, perguntas tu?

'Tenho a certeza que conseguirás imaginar como te sentirias se fosse a tua irmã a fazer-te isto."

Toma atenção ao tom e à tua intenção quando dizes o que escrevi acima.

Não precisas de o dizer num tom agressivo, apenas afirmativo. E ele não terá de responder. Mas acredita que se colocará no lugar da irmã. Só não precisa de te responder e expor-se.

Podes dar seguimento a esta situação e até pedir a intervenção dos miúdos e mediares estas situações. Queres aprender mais sobre isto? Estamos a organizar esta incrível e super prática formação ainda este ano. Estamos muito felizes em conseguir que a Isabel Oliveira venha à nossa Escola. Clica aqui para saberes mais.

Casos como estes vão ser trabalhados de forma muito prática dia 19 de Novembro, no Porto.

1 comentário:

  1. Boa tarde, os meus pegam-se todos os dias, de manhã à noite e eu já não sei o que fazer. estou de cabeça cheia, inconsolável e só lhes grito e ofereço palmadas: Mas acho que eles são assim porque eu e o pai vivemos num clima de guerra. Sim, eu sofro de violência psicológica, aquele homem chama-me nomes à frente dos meus meninos (de 7 e 6 anos) todos os dias. E não saio por alguns motivos que me fazem ter medo. Obrigada

    ResponderEliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share