Já ouviste falar no efeito pygmalion?

7.10.16

O "Efeito Pigmaleão (também chamado efeito Rosenthal), é o nome dado em psicologia ao fenómeno em que, quanto maiores as expectativas que se têm relativamente a uma pessoa, melhor o seu desempenho.É o efeito de nossas expectativas e percepção da realidade na maneira como nos relacionamos com ela, como se re-alinhássemos a realidade de acordo com as nossas expectativas em relação a ela."


Em 1968, dois pesquisadores americanos (Robert Rosenthal e Lenore Jacobson, da Harvard University) pegaram na totalidade de alunos de uma escola e fizeram-lhes um teste. Com esse teste, conseguiram identificar os alunos que se iriam destacar nesse ano letivo. Eram alunos com grande potencial e seria expectável que se evidenciassem. Apenas os professores tiveram conhecimento de quem esses alunos eram. Por isso, não foi com grande surpresa que, no final do ano, essas fossem as crianças que estivessem no topo da listagem.


A surpresa foi o facto desses alunos terem sido identificados de forma aleatória. O objetivo do estudo não era identificar quem eram os melhores. O objetivo era mostrar que quando temos altas expectativas em relação ao comportamento de uma criança e quando criamos um ambiente para que elas se concretizem (as nossas expectativas), então estão reunidas as condições para que isso aconteça.
Naturalmente que, como poderás ler aqui, não são apenas as expectativas do professor/cuidador/pai que contam. Temos de colocar em cima da mesa todo o ambiente sócio-económico, o background familiar e até o facto de ser uma criança saudável mas, como poderás ler no mesmo artigo, o facto de criarmos as condições tem um efeito gigantesco no resultado. Toda a intenção positiva do adulto, a sua boa-vontade, a linguagem não-verbal, o tom de voz, tudo isso tem um impacto determinante no sucesso (ou insucesso) do aluno/criança. Não é tudo, não é. Mas caramba, tem um peso gigantesco.

Como também falei aqui, quando levantamos a barra um bocadinho mais alto, os miúdos respondem. E respondem porque querem aprender e fazer, na busca da sua própria autonomia e a aprendizagem quando é desafiante - ou seja, quando acrescenta - impele a criança.

Vale a pena pensar nisto, não vale? De que forma é que criamos este ambiente saudável e propício ao crescimento e aprendizagem e como é que mostramos que temos estas altas (e saudáveis) expectativas em relação aos miúdos=



Se gostas destes temas, podes ficar a saber mais sobre as etapas do desenvolvimento de uma criança aqui.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share