Épocas de exames | | A Praça | RTP 14 Junho 2016

15.6.16




Os exames nacionais são um momento em que se prestam contas ao que se aprendeu e onde se avaliam alunos, professores, instituições e sistema. O tema de hoje tem a ver com o que é que podemos fazer para ajudar as famílias a passarem por esta fase com menos stress, ansiedade e angústia.


1. Porque é que este é um momento de stress para as famílias (e também para as escolas)?

Quando somos avaliados, quer queiramos quer não, o nosso valor é sempre posto à prova.Por outro lado, ter boa nota significa avançar ou ficar retido, o que ainda eleva mais a fasquia. Os pais, que não querem que os filhos falhem, e os professores que querem ver os miúdos terem boas notas, colocam pressão e, por vezes, da pior forma.

Finalmente, a ‘normalização’ das provas nacionais faz com que as mesmas se tornem mais comuns e habituais mas isso não lhes retira o stress de serem de avaliação, com tudo o que isso traz consigo.


2. Como é que os alunos e os pais se podem preparar para as provas? Qual é o maior inimigo?

Por incrível que pareça, o maior inimigo é a falta de concentração. Também me quer parecer que os programas podem não ser sempre os mais adequados.

Numa sessão de coaching recente com um aluno do 11º ano, ele dizia-me que não conseguia estudar sem ter o youtube ligado. Perguntei-lhe quem é que lhe disse isso. Ele respondeu ‘a sério, não dá’. Expliquei-lhe a razão pela qual ele iria querer desligar tudo e ele aceitou.



Como treinar a concentração?


Desligar tudo o que é tecnologia e distrações
Sejam os telemóveis, iPads, televisões. A única coisa que pode ser permitida é música relaxante. Porquê? Porque o multitasking não é algo que se consiga de forma contínua, com bons resultados, sobretudo numa ação que envolve compreensão e memorização.


2. Limpar a secretária - deve ficar vazia
Esta é das técnicas que mais resultados dão - uma mesa limpa, apenas com os cadernos ligados à especificidade daquele matéria.


3. Estudar como se fosse dar uma aula
Mais do que saber de cor, devemos saber explicar o que aprendemos. A melhor forma de lá chegarmos é imaginarmos que vamos dar uma aula e que temos de explicar aquilo tudo.


3. O que é que os pais devem fazer?
Os pais devem ajudar os filhos a estudarem nos momentos de estudo, sobretudo os mais pequenos que estão a adquirir métodos de estudo. Depois, deverão organizar outras atividades que nada tenham a ver com o estudo. E isto faz ainda mais sentido quando eles são pequenos. Porquê? Porque com a vontade de sair irão - em princípio - treinar a concentração no estudo para depois puderem fazer algo que gostam muito.

Nos maiores, os pais devem zelar para que esses momentos possam acontecer, convidando a uma pausa, fazendo um lanche ou saindo para passear, por exemplo.

À noite, deverão incentivá-los a deitarem-se cedo. A higiene de vida é um dos grandes segredos para a calma.




4. Devemos ensinar técnicas de relaxamento?
Devemos sobretudo falar e partilhar da nossa própria experiência, sobretudo com os mais pequenos?

‘Sabes, uma vez estava tão nervosa, tão nervosa que me deu para chorar baixinho. Ninguém deu conta e eu comecei a respirar fundo (assim, vês como se faz) muitas vezes, até me acalmar. Foi isso que me ajudou. E depois quando li as perguntas, não conseguia perceber. Então li uma das perguntas muitas vezes e afinal eu sabia. Só tinha de relaxar. E fiz o teste e passei.’

Eles percebem que estas coisas acontecem a toda a gente, que são comuns e que há formas de se sair dali.


5. Devemos dar prendas/recompensas às crianças por fazerem o seu trabalho?
Temos sempre muito receio que os miúdos não queiram fazer alguma coisa e que precisem sempre de alguma bengala para quererem fazê-lo.

A verdade é que essas recompensas (como os quadros e por aí fora) não têm nada de vantajoso para as crianças nem para os adultos envolvidos. E se numa primeira fase pode funcionar e ser visto como um grande incentivo, a verdade é que desresponsabiliza a criança e lhe retira a vontade inata.
Todas as crianças gostam de aprender - depende de quem ensina e de como ensina. Por outro lado, é muito mais saudável manter-se as rotinas
Quando acabares de estudar matemática podemos ir para a praia - ouvi dizer que vão estar umas ondas bem boas no final do dia.
Assim que essa parte da matéria estiver revista, vamos dar um passeio de bicicleta até ao farol e paramos para comer um gelado?


Estas atividades que se seguem são a verdadeira recompensa e dependem da responsabilidade da criança em fazer o que tem de fazer. São certamente rotinas que já existiam anteriormente, são uma forma da criança relaxar e ter uma boa experiência com os pais também. E sim, podem ser mantidas em qualquer idade.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share