Os maridos e a parentalidade positiva em 5 pontos fundamentais

29.10.15


Perdoem-me as generalizações... Esta é uma questão que me é colocada recorrentemente e nunca me disseram 'E a minha mulher? Como a faço mergulhar neste maravilhoso mundo novo?'
Mas eu imagino que haja muitos pais que gostariam que as mães lessem mais sobre este assunto. Por isso este texto é para ti, também. Apenas escolhi este título porque penso que te chamará mais depressa a atenção do que um simples 'e quando não estamos alinhados.'

Generalizações à parte, vamos dar início a este post que eu sei que é dos mais esperados!

É verdade que um dos motivos de maior tensão em casa, entre pais, é quando estes não estão alinhados. Pior: é quando discordam, de forma fundamental, em muitos pontos. Sobretudo na forma como educam os seus filhos.

Então como é que damos a volta a isto?

1. Descobrir qual é o objectivo do outro educador
Ninguém quer falhar na educação dos seus filhos. Daí que utilizemos diferentes formas de lá chegar, tendo em conta quem somos, o tipo de educação que recebemos, quem desejamos ser e as expectativas que temos.
Se somos mais agressivos é porque sabemos que essas formas funcionam. No imediato. Só não funcionam no médio e no longo prazo, como já te expliquei aqui. E também não promovem o respeito na relação e o igual valor entre pais e filhos. Real valor, perguntas tu? Sim, real valor. Eu sou a mãe do meu filho, sei algumas coisas mais que ele e a minha missão é educá-lo. Mas ele, enquanto pessoa, tem tanto valor quanto eu e, por isso mesmo, é merecedor do mesmo respeito que eu.
Por isso quando o teu marido ralha com o teu filho porque ele não quer estudar, por favor reconhece o objectivo dele:
'Estás mesmo com receio que ele volte a tirar boa nota, não estás?'
'Como é que podemos ajudá-lo a concentrar-se e a ter melhor aproveitamento?'

2. Reparar nas coisas boas
Podes não acreditar, mas há sempre uma ou outra coisa que el@ faz bem. Tens é de estar atent@. E dizer-lhe. Porque se só apontas o que há de mau, não podes esperar que o outro queira mudar ou aprender mais sobre Parentalidade Positiva. Vai estar concentrado em explicar porque é que a forma dele é a melhor.

3. Não faças nada
Faz tu - segue o teu caminho e faz como te manda o coração.

4. Faz-lhe chegar informações das mais variadas formas
Há quem tenha lido partes do meu livro Crianças Felizes, tenha vindo aos workshops em casal ou, volta e meia, reencaminhe as newsletters. Sem grande pressão, dizendo que gostaste de ler e que gostava de partilhar com ele.

5. Escreve quais são as tuas intenções e os teus valores
Os americanos podem ter muitas coisas diferentes mas dou-lhes o valor por gostarem de fazer listinhas e check lists.
Pega num caderno e escreve o que desejas ensinar ao teu filho.
Que seja generoso? Ensina-o a alegria de partilhar!
Que seja curioso? Lê livros, passeia com ele.
Que seja educado? Mostra-lhe como é ser-se educado com os outros.
Que seja assertivo? Ensina-o a falar sobre aquilo que ele sente.
Que se faça respeitar? Respeita-o e faz-te respeitar!
E por aí fora. E partilha isso com o teu ou a tua companheira.

Espero ter ajudado!
Também podes ler este post a seguir:

Devemos ou não devemos discutir em frente aos miúdos?





1 comentário:

  1. Estava mesmo a precisar destas guidelines em relacao ao meu marido! Mais uma vez acertou em cheio. Muito e muito obrigada por nos ajudar tanto de uma forma tao simples!!!

    ResponderEliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share