Estamos a tornar-nos pais mais permissivos? |A Praça | RTP 14 Outubro 2015 | Programa #4

15.10.15


Já não sabemos educar?
Porque razão andamos mais permissivos? Porque razão temos tanta dificuldade em sermos firmes?

Existem várias razões: cansaço, sentimentos de culpa, dificuldade em assumirmos que não podemos ser sempre os 'fixes', menor capacidade em lidarmos com as birras dos miúdos, mais necessidade em sermos amados por eles... Todos estes motivos poderiam ser explicados mas, inevitavelmente todos conhecemos alguém que já passou por eles, todos nós estivemos nesse papel algum dia das nossas vidas.

Lembro-me de uma mãe com quem trabalhei ter-me dito que ela não entendia porque razão tanta gente lhe dizia que era preciso dizer que não ao filho. Parecia-lhe uma medida demasiado drástica. Eu entendi a frustração dela. É verdade que há, em determinados momentos e determinadas pessoas que necessitam de afirmar a sua autoridade a todo o preço. E num momento em que poderiam criar uma oportunidade generosa e que fizesse sentido para o sim, criam uma oportunidade para um não caprichoso. Contudo, esta mãe não era desse tipo. Era uma mãe que não se importava de dar 1 mini tablete de chocolate antes do jantar porque, segundo ela, não fazia mal. Era uma mãe que não se importava que o filho ficasse sistematicamente acordado até às 23h porque ainda não andava na escola. 

Mas afinal, para que servem as regras? São um capricho dos pais?
As regras são, nada mais nada menos que uma forma de garantir a segurança emocional e física dos miúdos. Não me passaria pela cabeça deixar o meu filho mais novo ir sozinho a pé para a creche mas quando for mais velho vou incentivá-lo a ir ao supermercado ou aos correios a pé e sozinho.
Não me viria à ideia passar a faca do pão ao meu filho mais pequeno mas já deixo a mais velha cortar muitas coisas. 
Não me passaria pelo cabeça deixar a minha filha usar o meu cartão de crédito mas estou a ensiná-la a contar dinheiro para ser capaz de ganhar, à medida que vai crescendo, alguma literacia financeira.

Regras é isto - é, progressivamente, ensinar a criança a ganhar competências para se tornar num cidadão capaz, autónomo, feliz.


Mas porque é que os miúdos não obedecem? Sentem as incertezas dos pais?
Vamos por partes. Há muitos motivos pelos quais não obedecem - vou deixar apenas alguns:

1) Não lhes interessa. Ponto final. E fazem o que têm de fazer para nos convencerem que essa é uma péssima ideia!
2) Sentem a insegurança dos pais e, se nem os pais estão seguros, porque razão é que eles deveriam obedecer a algo que não parece ser o que parece?
3) Têm outra prioridades - continuar a ver TV é muito mais importante que ir tomar banho.

Devemos ceder? Devemos negociar com os nossos filhos?
Porque não negociar no que é negociável? Aliás, negociar é algo tão importante para o futuro que seria uma pena não fazê-lo. Com inteligência, generosidade e justiça. 


A QUESTÃO DA AUTORIDADE E DA OBEDIÊCIA [ESGOTADO]
A AUTO-ESTIMA DA CRIANÇA
PAIS FELIZES = FILHOS FELIZES


1 comentário:

  1. Este post caiu que nem ginjas... Obrigada

    ResponderEliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share