ESPECIAL REGRESSO ÀS AULAS | Setembro é o novo Janeiro: 21/ 25 resoluções para começar o novo ano escolar com o pé direito

20.9.15
#21 Mesada


Leste bem. Mesada. A mesada pode ser uma excelente forma de fomentar a responsabilidade no teu filho. Imagina que ele quer comprar um jogo ou quer muito uma determinada mochila. A mãe não gosta do boneco, acha-o feio mas se ele recebe mesada (o valor são os pais que definem - conheço pais que dão 3 euros por mês e outros, para a mesma idade, dão 20 euros) então pode aprender a poupar para comprar essa mochila que tanto deseja. Que bela oportunidade para aprender a gerir o impulso (porque até ter a mochila, vai querer o estojo, um gelado e um pacote de bolachas) e aprender a esperar. 
Achas mesmo que a mesada é assim uma tão má ideia?

Assina a newsletter e não percas pitada deste regresso às aulas!



6 comentários:

  1. Magda,
    Na verdade não concordo com mesadas, ou melhor, até posso concordar se a criança cumprir tarefas familiares(próprias para a sua idade, claro). A criança receber mesada só porque sim, sem ter consciencia que o dinheiro não aparece assim do nada, no meu entender, afasta-a completamente da realidade e origina mais tarde adolescentes que acham que os pais têm a obrigação de lhes dar as mesadas que eles querem.
    Há imensas tarefas domésticas de apoio à extrutura familiar, que podem e devem ser "contratadas" com as crianças (pôr e levantar a mesa, arrumar brinquedos, regar as flores, aspirar, limpar o pó, etc,etc). A mesada/semanada só será paga caso essas tarefas sejam cumpridas.
    Catarina Silva

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Catarina,
      eu tenho uma opinião diferente. Para mim, as tarefas de casa devem ser feitas sem que se ofereça nada em troca. Vivemos todos juntos e temos o dever de cooperar e de fazer com que a vida em casa seja mais fácil.
      A questão da mesada tem a ver com a literacia financeira. Uma criança de 6 anos ao receber 5 euros por mês vai aprender a fazer gestaõ financeira, a contar e a subtrair mas também a gerir os seus quereres. Hoje quer comprar um gelado e amanhã mais uma caderneta de cromos. Vai chegar ao final da semana ( e não do mês) sem dinheiro. Então vai aprender a gerir tudo isso. O dinheiro é dela, sem nada em troca e a sua responsabilidade é sabê-lo gerir. Mais à frente, quando for mais velha, se quiser trabalhar e fazer pequenos biscates como dar explicações a amigos, fazer babysitting, poderá ser remunerada por isso.
      Nas tarefas de casa, em família, coopera. Não há moeda de troca. Corremos o risco de, justamente quando fizerem babysitting e precisarem menos da mesada, de dizerem que não, que não arrumam porque tenho dinheiro suficiente para sairem :)

      Eliminar
  2. eu acho as mesadas interessantes para todos os meninos, assim como os incentivos, não sei se é bom ou não!
    Ontem lá andamos de volta dos livros e não vi muito interesse no meu filho a ver os livros, então depois lá lhe disse, que sempre que tirasse um 100% porque sei que o consegue, basta estar concentrado que lhe dava 2€, ficou logo todo entusiasmado e disse logo que ia tirar, vamos a ver:)
    Obrigada por todas as dicas fantasticas que nos dá todos os dias!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho a certeza que tirar o 100% só por ele, porque ele merece e consegue, será a melhor satisfação para ele. E no dia em que ele vier triste porque tirou 49%? Irá oferecer os 2 euros para ele não ficar em baixo?
      A minha sugestão é dar a mesada, de um valor baixo, com o objectivo, como disse acima, de ensinar a gerir os quereres e o dinheiro. Sem nada em troca. O seu filho será o aluno que tiver de ser porque se esforça, porque tem prazer em estudar e porque faz parte - eles vão estudar até se tornarem adultos!! Estudo com ele, essa também é uma boa recompensa para todos :) Boa sorte!

      Eliminar
    2. Bem visto.
      Obrigada pelas dicas Magda, estou sempre a aprender consigo!
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Olá Magda,
    Pois este ano lá em casa decidimos fazer um esquema de ajuda dividido em 3 partes - antes da escola, depois da escola e antes de deitar – que inclui tarefas básicas para as idades deles (9 e 7) que já faziam, como arrumar o quarto, vestir, lavar dentes, preparar mochila. Por cada parte cumprida, sem lembretes da nossa parte ou resmunguices da parte deles, recebiam 0.10€. Ao fim da semana dava 1.50€. O objetivo era atribuir um valor simbólico, que lhes trouxesse alguma responsabilidade.
    As reações foram diferentes: um adorou, estava mesmo empenhado e o primeiro dia correu muito bem; o outro achou o valor pequeno, que assim não valia a pena fazer e que o nosso esquema era uma porcaria, boicotou completamente e influenciou o irmão, que no segundo dia já não se empenhou tanto.
    Por favor, Magda, tem alguma sugestão?
    Beijinhos
    Ana Ferreira

    ResponderEliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share