"Pedi a minha filha para guardar os sapatos dela. E ela respondeu-me: apanha tu, afinal tu é que és a mae." E agora, o que lhe respondes?

9.12.14


Este fim-de-semana, a questão que teve imensos comentários no Facebook foi a que se segue:

"Pedi a minha filha para guardar os sapatos dela. E ela respondeu-me: apanha tu, afinal tu é que és a mae.
E eu nao quis acreditar no que estava a ouvir. Como é que ela consegue ser tao mal educada e faltar-me tanto ao respeito quando eu faço tudo por ela. E é horrivel: quanto mais eu ralho ou lhe diga que nao é assim parece que tudo piora."

Conheces o filme? O que dirias a esta mae?

[podes ler os comentários aqui]



[A questão no final era 'O que dirias a esta mãe e não o que responderias à filha. ]


A maior parte de nós escolheria ficar ofendida e, como bem disse uma das mães que respondeu no Facebook, talvez a resposta da filha não tenha como objectivo ofender a mãe. O que não impede que a mãe se sinta talvez por considerar que não merece ser tratada assim ou/e porque sente que o tom e o tipo de resposta é agressiva...




Mas vamos por partes.




1. Que idade tem a criança?

Antes de tudo, a idade da criança foi deixada de lado, de propósito. Porquê? Porque possivelmente até aos 5 anos [até!] pode ainda não ter compreendido as dinâmicas da casa [compreendido ou ser parte integrante dessas dinâmicas] ou então responde como por vezes lhe respondem.




2. Estás fotografada!

Por outro lado, a forma como nos dirigimos à criança influencia a resposta que vamos ter. A verdade é que se gravássemos o que dizemos, e ouvíssemos o tom e a cara que fazemos na maior parte das vezes, a resposta dos nossos filhos podia estar em sintonia com o nosso pedido.

3. O momento é [quase] tudo!

Escolher o momento para pedir- se eu sei que a possibilidade de sucesso é baixa, é inteligente da minha parte esperar e pedir numa outra altura. Não perco poder, não estou a ceder, estou antes a ser inteligente e não estarei a entrar num jogo de poder.


4. Treinar

Lembras-te quando te falavam que os rituais e as rotinas são importantes para uma criança. Queres ver isso a aplicar-se aqui?

'Meninos, o que é que fazemos todos quando chegamos a casa? Calçamos as pantufas, arrumamos os casacos e os sapatos e colocamos as lancheiras na cozinha, certo?'

Quem não fizer isso pode ser [dependendo da idade, mais uma vez] um ovo podre.

Quanto mais treinares com eles, mais esta acção se torna automática. Tão automática que possivelmente uma das primeiras coisas que os teus filhos fazem quando chegam a casa é mesmo tirar os sapatos. Isto acontece porque os treinaste. Agora continua com o arrumar, por exemplo.



5. Brincar

Brincar, dizes tu? A brincar, a brincar, eram os sapatos que voavam janela fora. Vá, respira fundo. Acredita que todos têm a ganhar quando conseguimos tirar tensão da situação. A tua filha está super concentrada a brincar no teu tablet e diz-te para tu arrumares os sapatos. Achas mesmo que ela vai escutar o que lhe queres dizer se desatas aos berros? Possivelmente, com a ameaça dos sapatos voarem até pode levantar-se. E se não se levantar, o que fazes?

Independentemente da tua resposta, o que estás a ganhar aqui é apenas e só um jogo de poder. Mais nada. E depois do jogo começar, alguém vai ter de o parar.

Por isso, e se não te apetece ir por esse caminho podes dizer qualquer coisa como 'Ui! Eu acho que ouvi mal... Parece-me que querias dizer qualquer coisa como 'Mãe, por favor querida maezinha que eu estou tão bem aqui sentada, podes ajudar-me só hoje?'


6. Fala sobre ti

'Olha Joana, eu fico muito magoada quando me falas nesse tom.'


7. Entre-ajuda

No ponto 2. dizia que possivelmente podes ter usado um tom menos adequado. Se a tua filha já consegue, combinem as duas que quando o tom for desadequado que se avisam mutuamente.

'Tom, mãe! Olha o tom!!'


8. É o que dizemos e como dizemos

O ponto 7 vai dar-te uma grande ajuda para perceberes do impacto do que dizes e de como dizes. Está atenta. É um exercício espectacular e que vais afinando aos pouquinhos.



2 comentários:

  1. Ui, ja vi muitas vezes essa situação !!!

    ResponderEliminar
  2. O meu ainda não tem idade para fazer isso, mas ainda hoje fique de boca aberta quando, ao chegar a casa, estamos todos a tirar os casacos e a guardar as coisas, e ele tira o seu casaquito todo contente. acho que vou mudar o cabide dele para a entrada, para começar a pôr o casaco no cabide. :)

    ResponderEliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share