Fazer com que os miúdos aprendam a lição num instante!

9.9.14


'Bater não é nunca a melhor forma de se ensinar uma criança Mesmo no caso de perigo real - como quando uma criança foge para a rua - podes agarrá-lo, sentá-lo, olhá-lo nos olhos e dizer-lhe porque nunca mais voltará a fazer aquilo. O pânico na tua  voz irá comunicar a mensagem de uma forma muito mais efectiva do que bater.Podes ser dramática sem ser abusiva'.

Peggy O'Mara




Quando eu decido ser brutalmente honesta com os meus filhos, sem os acusar mas falando do impacto do comportamento deles em mim e na minha vida, é aí que os tenho atentos e disponíveis para não voltarem a repetir, pelo menos não tão cedo, aquele mesmo comportamento. Porquê?

1) Primeiro porque optei por ser honesta;

2) Porque decidi falar do impacto do comportamento deles na minha vida, sem acusar

3) Porque não vão estar concentrados a defenderem-se e sim a encontrarem estratégias para actuarem de forma diferente.


É difícil fazer-se isto?NÂO! Exige treino, começar a olhar para as próximas situações de forma diferente e depois de ser feito lembrarmo-nos de os perdoar porque é quando o fazermos que os miúdos têm fé no depois e vontade de começarem de novo.


5 comentários:

  1. Pelo desculpa, mas nao concordo concordando. Há realmente situação em que conseguimos que eles nos entendam sobre o que pode ou não fazer e os perigos inerentes aos actos, mas existe também muitas situações em que uma palmada (e entenda-se palmada como o acto de sacudir o pó, porque nunca lhe doeu de certeza) tem de ser dada. Vejo cada vez mais teorias e textos e autenticos doutoramentos sobre o "dar ou não uma palmada" e acho que este exaustivo sobre o assunto começa a ser levado ao exagero. Eu levei umas belas palmadas e umas belas reguadas.. que ainda hoje me lembro e admito que deram resultado e não sou uma traumatizada por tal. Ao meu filho evito "sacudir-lhe o pó" mas por vezes em determinadas situações tem de ser..

    Um filho que nos levanta a mão e nos bate (porque infelizmente tem um colega de escola que acha isso normal) o que fazer? Falar? Explicar? É muito giro na teoria, mas se ele não perceber o que doí uma palmada.. como explicar que não se deve fazer isso?

    Lá está é como sempre digo.. há situações e situações. Não sou apologistas das palmadas no rabo, mas às vezes.. tem de ser.

    Bjinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não acho normal que um filho levante a mao a um pai. Como também não acho normal o contrário.
      Se uma palmada de sacudir o pó funciona? Claro que funciona! Se um 'arraial de porrada' funciona no imediato? Não tenha dúvidas disso.
      Eu escolho tratar com base no respeito e eu sinto que desrespeito os meus filhos e a mim enquanto mãe caso lhes bate. É uma questão de princípio - não é nem um esforço que faço porque simplesmente essa opção não me ocorre e por isso uso outras.
      Como explicar que não se bate? Dizendo que doi, que não se faz e desviando para outra actividade. Uma, duas, três vezes. Mostrando que estamos zangados. Vai dar uma palmada para dizer que não se da palmada? O que é que está a tentar ensinar, então?
      Não bater não tem a ver com permissividade. Tem a ver, apenas e só, com os nossos princípios e com escolhas que fazemos. Pode não ser fácil MAS é possível.

      Eliminar
    2. Eu prefiro castigar tirando aquilo que mais gostam do que bater.

      Eliminar
    3. Vamos lá ver, as crianças devem ser respeitadas e tratadas como ser humanos! Nós adultos aprendemos melhor as tarefas no nosso trabalho se os colegas nos vierem dar uma palmada de leve ou para doer? A palmada resolve o imediato, mas o que provoca o comportamento da criança continua dentro dela e não estamos a ajudar a resolver a verdadeira questão. Dá mais trabalho, pois leva mais tempo a ver os resultados, mas o resultado é de facto maravilhoso. Devemos ser mais introspectivos como pais. Tenho muita pena que não se pratique a Parentalidade Positiva a nível de escolas, colégios, nas consultas pré-natais, nas consultas pediátricas. A mudança de mentalidade da Sociedade é muito lenta. Mas um dia as mentalidades irão mudar, alguns têm de começar a remar nesse sentido...

      Eliminar
    4. De cada vez que um(a) adulto(a) levanta a mão para bater numa criança (ainda que seja para "sacudir o pó"), é sinal mais do que suficiente de que se trata de uma pessoa traumatizada pela educação que recebeu na infância e precisa de ajuda, mas ainda nem se apercebeu disso...

      Eliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share