Eu também tenho mau feitio e resmungo o tempo todo!

19.8.14

Toda a vida ouvi dizer que tinha mau feitio. Se queres que te diga, e agora que escrevo, não te sei explicar muito bem como era esse mau feitio que tanto falavam. Talvez fosse quando punha má cara quando era miúda [a minha filha parece ter herdado isso de mim], talvez fosse responder muito [mas lá está, havia outras pessoas na família que respondiam e que ouviam 'é como o pobre: pode ir sem esmola mas sem resposta não vai', e isso parecia ser uma virtude], talvez fosse por bater com os pés quando as respostas não me satisfaziam [a minha filha também faz isto].

E cresci, dizia-te eu, toda a vida com essa etiqueta do mau feitio. Se os outros diziam isso, e esses outros eram da família, então eles deviam saber que assim era. Nasci Magda. E, para além de ter cabelos e olhos castanhos, também tinha mau feitio. Até podiam ter escrito no acto de nascimento, já agora!

Confesso que foi muito difícil livrar-me da etiqueta. Não tinha a noção se era uma coisa para a vida. E, ridiculamente, sentia que não podia defraudar as expectativas de toda uma família que acreditava que eu tinha, de facto, mau feitio. Já viste o que era? Tanta gente estar completamente ao lado de quem eu era? Nã... não lhes podia fazer isso, pois não?

Resumindo, a dita etiqueta desapareceu [mandei-a passear] mas tive um enorme trabalhão a provar que afinal a dita não estava escondida. E provar aos outros que nós não somos mais quem eles pensam que nós somos? Isso é que é! Volta e meia parece que se esqueceram e que até conseguem ver as minhas true colours... mas há um dia ou outro que afinal me dizem 'mas que raio de feitio!'

Entretanto decidi etiquetar-me...  afinal a tal etiqueta do mau feitio até tinha uma razão de ser... É que eu não sou mau-feitio... resmungo é muito. O que é uma chatice porque, na minha vida privada, estou sempre a mandar vir. Ou é porque os talheres estão mal arrumados, ou é porque perdi tempo, ou é por isto ou por aquilo... Garanto-te que arranjo motivos! 

E o que é que aconteceu? Tenho dois filhos que são super resmungões... hahaha... é muito boa, esta, não é? E a pergunta agora é? Ponho-lhes a etiqueta ou não? 

No próximo post explico-te exactamente como é que eu lido com as réplicas da minha filha e conto-te se lhes pus a etiqueta ou não?


3 comentários:

  1. Não ponha a etiqueta. O problema das etiquetas é que são muito fáceis de por e muito dificieis de tirar, por nós e pelos outros e a verdade é que quando criamos expectativas, criamos as condições para elas se confirmarem e acabamos por ter sempre razão (mais valia que assim não fosse). Luto muito comigo e com os outros para não etiquetarem a minha miúda. A minha etiqeta de mau feitio acompanha-me na casa da minha familia. Nunca a consegui tirar. Entre os amigo tenho outras, diferentes. Quase sempre as etiquetas atrapalham mais do que ajudam (99% das vezes). :)

    ResponderEliminar
  2. Hum...A D O R E I...sim, eu, segundo alguns, também tenho mau feitio...e simmmm...as minhas princesas também, tal como eu, resmungam e reclamam à brava...mas que as crianças aprendem por imitação não é novidade...

    ResponderEliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share