Equilibrar Gentileza e firmeza, com as crianças

6.2.14

Publiquei este post neste blogue. E tu, já recebes as newsletters do Desafio Fazer Acontecer? Clica, é aqui.


Equilibrar Gentileza e firmeza, com as crianças

O mês de Fevereiro é dedicado à Gentileza. 

Há uns dias sugeri que sorrisses com os olhos [não precisas de sorrir com os lábios] a quem passasse por ti.


Hoje  [e porque sabes que tenho o blogue Mum's the Boss, onde escrevo sobre temas relacionados com a Educação e Parentalidade Positiva], sugiro que sejas firme com os teus filhos e, ao mesmo tempo firme.


Pois é,  é mais fácil dizer do que fazer... até porque se confunde gentileza com permissividade e uma coisa não tem nada a ver com a outra. 

Agora imagina que o teu filho se passou com o irmão e lhe atira com um livro em cima da cabeça.
De que forma reages?

Normalmente podes ir para um dos extremos:

1 - Pronto, não voltes a fazer isso, que nós cá em casa não fazemos essas coisas. Vai lá pedir desculpas ao teu irmão.
2 - Anda cá, toma lá que é para saberes e agora vai ali para o corredor pensar na tua vida. Ai o menino!

As boas notícias quais são?
Há uma terceira via.

Podes e deves mostrar o teu desagrado [mas primeiro vê se o que levou com o livro em cima está bem!]. E dizer que percebes que ele se tenha zangado com o irmão que lhe disse que não ia mais brincar com ele mas que não aceitas a forma como ele reage.
O que é que estás a fazer? Estás a reconhecer os sentimentos dele e a dizer-lhe claramente que eles têm valor mas a forma como ele os mostra é que é inaceitável

E agora dizes-me assim: 'Mas ele continua a ser mal educado e a dizer aquelas coisas horríveis. O que é que eu faço.'
Podes fazer muitas coisas. Uma delas é dizer-lhe que não aceitas que ele fale assim contigo [tal como não aceitarias isso de outra pessoa qualquer] e por isso que precisas de uma pausa [qual é o problema? se precisares de uma, faz!] e que quando ele estiver mais calmo poderão falar. Aliás, é só nas situações em que as pessoas estão calmas que são capazes de escutar, porque estão disponíveis para isso. Até lá estão irritadas e a defender o 'campo' delas.


Há algum problema nisto, de saíres, respirares fundo e depois lidares com a situação?
A menos que ela tenha mesmo descarrilado, não há. Ao contrário. 

E, na verdade, mostras que te respeitas e ensinas também auto-regulação, que é a capacidade de a criança se acalmar sozinha. Para isso é importante que treines respiração com ele e o ensines a acalmar-se. A isto chama-se auto-regulação.
Mas isso é matéria para um post no Mum's the boss :)

Equilibra gentileza com firmeza é isto. E depois disso, desamarra a cara, que isso não te leva a lado nenhum e não dá vontade de sermos cooperantes contigo.

Sobre estes assuntos convido-te a ler

Como resolver uma birra em menos de nada
As birras dos pais
6 formas para aumentares o vínculo com os teus filhos

8 comentários:

  1. Descobri o seu blogue há uma semana e adoro lê-lo. Espero frequentar um dia os seus workshops. Felicidades

    ResponderEliminar
  2. Vou tentar depois digo como correu! ;-)

    ResponderEliminar
  3. Adoro ler este blogue... tudo faz sempre muitos mais sentido. Já temos um "pote" da gratidão e estou a tentar não "berrar"! Bem hajam!

    ResponderEliminar
  4. Segui o blog já a algum tempo, como professora de babyoga faz todo o sentido o que escreve. Continue assim , sempre pelo o lado do amor. Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Magda, e quando eles ainda não falam, ou seja, a comunicação oral ainda não surte efeito, não me serve de nada estar a dizer-lhe "percebo que estejas frustrado por não conseguir abrir isso, realmente, é uma chatice, mas não aceito que atires as coisas pelo ar, não é assim que vais conseguir abrir a caixa"?
    até consigo perceber que se pode fazer uma pausa só com postura e linguagem corporal, mas é muito mais difícil quando eles ainda não têm dois anos, verdade?
    e eles atiram coisas pelo ar e agridem e batem com menos que dois anos!
    como é que se faz nesta idade?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Excelente questão! :))))
      Eles não falam MAS entendem. TUDO! Não tem nada de místico, eles entendem o que os pais dizem. Entendem as palavras, a firmeza, tudo. Por isso, quando têm menos de 2 anos fale com eles e explique-se. Vai ficar espantada com o feedback que vai receber. E eu, ainda que trabalhe nisto, fico maravilhada com o feedback que tenho do meu, que tem 1 ano! :) Experimente, só tem a ganhar!
      Beijinhos

      Eliminar
    2. eu já calculava que a resposta a esta minha dúvida fosse esta, "insistindo"! ;)
      e por isso já é como vou fazendo, é. Ainda esta manhã estava aflito (coitado, não sei o que se passa - lá está: não fala! - mas teve diarreia e adormeceu com cólicas e acordou esta manhã todo rabugento, pois claro), mas dizia eu, ainda esta manhã, todo nervoso, fruto se calhar do desconforto físico que tem, estava implicativo e com pouca paciência. Não queria lavar os dentes mas queria a pasta; já com a pasta na mão, não era nada daquilo, queria antes a escova; às tantas atira a escova ao chao, e eu "respira, respira, respira..." :) a lembrar-me disto!!, no fim não queria sair da wc, senta-se no chão a chorar lágrimas gordas que até deixaram pinga no chão! (digam-me cá se no meio disto é fácil ter uma conversa eloquente? não é!...) e eu olho pra ele (de coração partido, que só me apetecia era ir lá abraçá-lo!! mas lembrei-me que naquele momento tinha que lhe dar espaço para ele se acalmar sozinho), afastei-me, fui dizendo o que ia fazer "a mamã vai aqui buscar o creme para pôr na cara do Manel que já vai parar de chorar, não vai?", mas sempre sem lhe sair do ângulo de visão, para ele poder confirmar que lhe estava a dizer a verdade, e voltei com o creme, agachei-me e, surpresa!, ele já estava recetivo e abraçou-me ele a mim. Aí, sim, dei-lhe finalmente o mimo e o conforto que ele precisava extra, para além do seu próprio momento de auto-controlo.
      Pensei "pronto. desta vez consegui". E consegui mesmo, porque ele parou de chorar, parou de resistir, veio por sua iniciativa comigo, enfim, mudou a postura.
      Mas, oh Magda, livra... isto é educar o instinto!!! É sobre-humano!!
      ;)
      Mas MUITO obrigada. tenho aprendido tanto...

      Eliminar
    3. Pipas, quem disse que é fácil?
      :) Parabéns :)

      Eliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share