Pede-me temas, da-me ideias!!

14.1.14
É quase a vontade do freguês... ;)
A ideia é chegar mais próximo e por isso peço-te que me digas temas sobre os quais posso escrever. Alinhas?
Obrigada ;)

26 comentários:

  1. Filhos com duas casas, a do pai e a da mãe. Meios-irmãos. Padrastos e madrastas. Fins de semana alternados, saudades e dúvidas, culpas e desculpas. Famílias reconstruídas. Pais separados com filhos em comum que se dão bem e outros que nem por isso.

    ResponderEliminar
  2. Tal como te disse no outro post: diferença de idades entre irmãos. O ideal existe? Mais ou menos? Prós e contras.
    Obrigada! :)

    ResponderEliminar
  3. Escolha de escolas primárias! O que valorizar?

    ResponderEliminar
  4. Escolha de escolas primárias! O que valorizar?

    ResponderEliminar
  5. Escolha de escolas primárias! O que valorizar?

    ResponderEliminar
  6. Crianças que vivem lado a lado com a doença
    com explicar .....

    ResponderEliminar
  7. explicar sexo de modo saudavel (7 a 9 anos, quando dão o aparelho reprodutor na escola)
    o que sabemos sobre os filhos , iludidos a pensar que são santinhos fora da nossa vista ou conhcemo-los realmente.
    obrigada
    sofia alves

    ResponderEliminar
  8. Lidar com o Insucesso escolar (apesar do esforço) alternativas para quem tem NEE... Adolescência...

    ResponderEliminar
  9. A chupa e a fralda, o Gabriel praticamente já não ligava e agora aos 19 meses não vive sem elas, gostava de perceber a tua abordagem a este assunto

    ResponderEliminar
  10. Quando apesar de se fazer e cumprir durante alguns dias a rotina do sono, já ter mudado de estratégia algumas vezes e até abordar a pediatra com este assunto (sem nenhuma resposta que eu já não tivesse tentado...) como dar bons hábitos de sono a uma criança de 26 meses que pura e simplesmente não dorme antes das 00h.

    ResponderEliminar
  11. Sobre os medos!!! Medo do dentista, medo das injeções, medo de furar as orelhas.... Aquele medo quase pânico, sabes?

    Sobre o stress.... A minha filha stressa muito com ela própria! Se se esqueceu de estudar piano chora antes de ir para a aula (e ela adora o piano!). Se o desenho que quer fazer não está a sair bem, fica irritada e chora... felizmente não acontece muitas vezes mas em setembro vai para o primeiro ano e temo que isto que transforme num inferno! E não é por exigencia minha, não é mesmo! Eu digo-lhe quando um desenho não ficou assim tão bem mas digo-lhe sempre que ela consegue fazer melhor, e ela sabe que consegue. Assim como nunca a chateei para estudar piano, porque é o primeiro ano e eu não quero que seja um fardo para ela, quero só que ela disfrute e se divirta verdadeiramente nas aulas... é uma coisa do feitio dela! Não estou a conseguir ajudar a Alice nessas frustrações dela...

    ResponderEliminar
  12. Como estimular o desenvolvimento de uma criança de 2 anos... A fala, a interacção com estranhos, o largar as fraldas... Obrigada pela porta aberta!

    ResponderEliminar
  13. Preparada? Aqui vai uma lista de temas acerca dos quais procuro leituras...acerca das quais gostaria de conversar:
    * promover a autonomia nomeadamente o vestirem-se sozinhas, fazerem a sua higiene pessoal sozinhas, implicações dos pais adormecerem as crianças à noite/crianças adormecerem sozinhas
    * promover a criação de vínculo entre irmãos e reduzir as birras e disputas
    * ultrapassar dificuldades de adaptação a uma nova escola/integração no novo grupo de amigos
    * identificar estratégias para a família respeitar as diferenças entre dois ou mais irmãos, sem que estes sejam catalogados
    * identificar comportamentos adequados/desadequados a adotar em situações de ciúmes entre irmãos
    * identificar estratégias para lidar com crianças que tendem a dramatizar situações
    * compreender a diferença de impacto (maior ou menor), nas diferentes faixas etárias, das experiências educativas vivenciadas na construção da personalidade da criança
    * compreender como é vivido o luto pela criança (identificar se se trata de uma vivência saudável ou não)
    * identificar estratégias para tratar com crianças de "personalidade forte" (são tantas vezes assim designadas)...ou eu diria muito teimosas ;)
    *...

    ResponderEliminar
  14. As crianças (já desde os 2 anos) que têm a tendência a levantar a mão para empurrar as outras, bater nas outras. Tenho uma amiga com esse problema. E a menina é criada em casa, no lar de muita atenção e amor, sem as palmadas ou algo do género que a leve a imitar o comportamento.
    Como lidar com isso se é frequente? Se o faz sempre que vê algum menino aproximar-se ou com outros que conhece e costuma brincar?

    ResponderEliminar
  15. Auto-estima da criança. Como promover e manter. Como identificar uma auto-estima saudável. Alguma vez deixa de o ser, se for desmesurada? Em que ponto? Ou isto ou vou ter de ir ao próximo workshop!

    ResponderEliminar
  16. Auto-estima da criança. Como promover e manter. Como identificar uma auto-estima saudável. Alguma vez deixa de o ser, se for desmesurada? Em que ponto? Ou isto ou vou ter de ir ao próximo workshop!

    ResponderEliminar
  17. Abordar alguns temas direccionados para pais que têm crianças com necessidades especiais (o meu filho tem deficit de atenção e da percepção) e grande parte das vezes é muito difícil conseguir ele, e eu que sou quem estudo com ele,motivar e atingir objetivos.

    ResponderEliminar
  18. Pais separados, guarda conjunta e vidas divididas dos filhos. Como gerir as saudades e a tristeza dos filhos pela desunião da família que conheciam.

    ResponderEliminar
  19. Não sei como lhe chamar... chamemos-lhe "A incapacitação da criança" ou seja, o fazer tudo por ela, incapacitando-a.
    Ex: levar a todo o lado, esperar para voltar a trazer, tomar decisões por ela (vou a festa de anos de quem se tenho duas a mesma hora?). Ocupar-lhe o tempo todo não lhe deixando "horas mortas" nem a deixando aprender a entreter-se sozinha.
    O controlo excessivo de acompanhar cada segundo da vida da criança, não deixando espaço para "segredos" nem privacidade nem vida própria.
    A alimentação e a verdadeira guerra civil em que se transforma cada refeição. é horroroso/odioso assistir.
    Não sei se me fiz entender.

    ResponderEliminar
  20. Na minha opinião não há o certo ou o errado, não há prescrições de "como lidar em tal situação", não há milagres..
    Acho que o dia-a-dia é o que nos mostra como educar, amar, zangar, ensinar,... e todos os verbos acabados em "ar" que se tem de adoptar perante um bebé, uma criança e um adolescente.

    Gosto do que leio aqui, mas em alguns casos acho um exagero o control que querem ter em relação a uma criança.
    Nada como o instinto na minha humilde opinião, porque é só isso.. é a minha opinião.




    ResponderEliminar
  21. Emigração.... a dos Pais, e a deles....novos contextos, diferenças culturais! Gerir as despedidas.... aquele acto que nós temos a consciência do que significa, mas que uma criança de 3 anos é capaz de não conseguir abranger!

    ResponderEliminar
  22. Por mim, que tenho um a chegar a essa fase .... inicio da adolescência ;-)

    ResponderEliminar
  23. Divórcio com Filhos muito pequenos (bebé de meses e criança de 3 anos) ; como lidar com "quero o papá, tu és má!" Leia—se, imponho e faço por cumprir às regras vs só brincadeira e vontadinhas com o pai! Eu também brinco :-)

    ResponderEliminar
  24. o trato.
    prós e contras do trato por você e do trato por tu.
    snobismos à parte, claro. uma coisa é o tratar por você porque se é snob e outra é porque se foi educado assim (tenho amigas do norte que me dizem que ainda é muito comum por lá, é uma deferência).
    é que dou comigo a tratá-lo tão depressa na terceira pessoa como na primeira, às vezes na mesma frase! e isso é que é mau, não é?

    ResponderEliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share