Isso não se diz!

21.6.13
Já reparaste que tod@s desejamos que os nossos filhos venham a nós para consulta, protecção, orientação... mas depois não os deixamos ser quem são?

E ser quem são passa tanto por deixá-los dizer o que querem, o que sentem.


-'és má! não gosto de ti!'
- 'a professora é má! não gosto dela.'
-'aquele bebé é feio...'

Dizer 'isso não se diz' logo assim, à bruta e quase a tapar-lhes a boca [para, em parte, não passarmos vergonhas ou só porque sim porque nos ensinaram assim] passa a mensagem que 

1. o que eles sentem está errado (e eles podem sentir o que quiserem, na verdade, tal como nós);

2. nós só estamos disponíveis para ouvir o que é bom e bonito e certo... e isso não é verdade, porque nós queremos estar lá em todos os momentos... Mas, a verdade é que passamos uma mensagem totalmente ao lado. Já tinhas pensado nisto?

Então, da próxima vez, lembra-te que eles sentem-se como estão a dizer... e a tua missão é descobrir porquê e ir mais longe e perceber o que é que está a provocar aquilo. Antes de dizeres 'isso não se diz' :)

5 comentários:

  1. Bem observado. Vou passar a prestar mais atenção ao que digo nessas alturas.

    ResponderEliminar
  2. Olha pois às vezes oiço assim uns Nao gosto de ti!! E normalmente é quando estão embirrentos e cansados!
    E nunca disse que Isso nao se diz! Mas sim perguntar o porquê! E a resposta é a mesma, A Mamã é má!!
    Ha dias!

    ResponderEliminar
  3. Isso tudo depende a quem dizem essas coisas. Há regras para viver em sociedade. Basicamente, em casa pode dizer tudo o que sente e pensa mas não vai dizer à mãe do bebé que o seu bebé é feio, porque essa mãe vai ficar muito triste, e nós não queremos isso! :)

    ResponderEliminar
  4. O texto faz todo o sentido. Eu acho que á coisas que não se devem dizer, mas temos de lhes explicar porquê que não se devem dizer. Temos sobretudo pensar que não devemos exigir um comportamento a uma criança se ela ainda não tem idade para o fazer.
    A minha filha tem 5 anos, mas já há algum tempo que lhe venho a explicar que não se deve por exemplo dizer " aquela menina, aquela, a gorda" ou " aquela menina castanhinha" mas uma explicação para a idade dela. Podemos pensar de facto ela é gorda, de facto ela é castanha, raça negra, e é isso que aquela cabecinha vê e pensa. Mas não sou eu como mãe que tenho vergonha, acho que a sociedade não permite mesmo que se trate de uma criança de 5 anos o faça. E se a própria pessoa ouvir? Vai entender que é uma criança?
    Então, eu explico à minha filha que não se aponta para as pessoas, que não nos referimos ás pessoas dessa maneira, pois podemos magoá-las e tento coloca-la numa situação semelhante. Quanto ás raças. Se estivessem 2 branquinhas como as referenciavas?
    Ainda hoje ela vai com o dedo e aponta, ela ainda diz castanhinha...ou seja não exijo dela, não imponho ...simplesmente vou ensinando, explicando.

    ResponderEliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share