Pais na Rede... encontro de bloguers e muito mais do que isso...

25.5.13





Gostei muito de ter estado nesta iniciativa da Red Apple – Pais na Rede. Vim 
com o coração cheio... mas também um bocadinho mais pequenino... Já te explico porquê, mais à frente.

Foi uma iniciativa bonita porque juntou uma série de bloguers bem conhecidos da nossa praça numa conversa informal e num sítio muito catita. E, embora grátis, todos os participantes foram convidados a deixar um ajuda para a Casa do Caminho. Solidariedade é o nome que se dá a esta oferta.

Gostei de confirmar que os bloguers portugueses desenvolvem um trabalho cada vez mais sério. Gostei de perceber que conseguimos inspirar até outros leitores a criarem o seu próprio blogue. Ou que ajudamos outras mães a relativizarem aquela situação chata porque também a nós nos acontecem coisas parecidas.

Mas o que mais gostei foi perceber duas coisas: que embora seja um trabalho muito sério este de se escrever para quem quiser ler, também é um trabalho de gente que não se leva a sério, que ri de si própria, que mostra as suas fragilidades, os seus medos e alegrias e até neuras. Já sabemos: não há pessoas perfeitas – e o painel onde eu estive inserida veio confirmar que mais do que perfeição, aquilo que cada uma de nós faz é esforçar-se por dar o melhor que tem em si – cada uma no seu galho, cada uma escrevendo sobre aquilo que sabe e que mais gosta e mais lhe dá gozo. Porque escrever um blogue também dá um gozo tremendo!

Gostei de rever a Francisca, a Inês que está cada vez mais bonita e de conhecer a doce Sofia. Gostei de estar com as Anas e até rever a Diana!

Este encontro, como te disse acima, tinha também uma missão solidária t– a de ajudar a Casa do Caminho. Mas quem é a Casa do Caminho (continua a ler, não é uma descrição de bla bla bla!)

A Casa do Caminho é uma casa que fica em Matosinhos e que acolhe crianças em perigo, vítimas de maus tratos, negligência ou outras formas de violação do seu desenvolvimento ou dos seus direitos.
A casa do caminho é uma casa que quer devolver o sonho, a segurança e a felicidade às crianças que  por lá passam.
E embora eu sempre tenha ouvido falar na Casa do Caminho (não fosse eu desta terra!) confesso que hoje fiquei particularmente sensibilizada. Eu sei porque é que estes miúdos e até bebés vão parar a esta casa. Mas hoje, a noção teve um impacto muito mas muito forte com a visualização deste filme de um minuto.
Ora bolas, estas crianças são retiradas aos seus pais porque, de alguma forma, são vítimas de alguma coisa. E por isso sofrem.  Sofrem porque o amor de um filho pelos pais é que é mesmo incondicional. Sofrem porque
podem chegar a esta casa a meio da noite. E dá medo. Dá medo serem colocados num quarto e numa cama por pessoas que, por muito mas mesmo muito amor tenham para dar são naquele momento pessoas totalmente desconhecidas.

Ai gente! Porque é que se colocam crianças neste mundo para depois as fazermos sofrer? Não minha gente, nem tudo se cria! Não minha gente, ter um filho não é só uma boca para alimentar ou vestir. Dá trabalho, dá consumições. É preciso paciência. É preciso estar lá. É preciso cuidar.
Por isso é que é tão importante orientar estes pais. Acho que são precisas muitas coisas, afinal. Como a contracepção. Como pensar que ter um filho pode não ser a coisa mais romântica do mundo...

Mas também é preciso que estas instituições sejam ajudadas e acarinhadas. O trabalho que se faz nesta Casa do Caminho é grandioso. Como foi dito no encontro organizado pela Red Apple, o amor é libertador. O amor, o cuidar e os afectos, que não custam um único tostão, mas que ainda assim faltam tanto.

Obrigada Red Apple por esta iniciativa e por apoiar esta instituição que tanto merece!


Obrigada à My frame e à Prilim Pim pim pelos miminhos !

4 comentários:

  1. Não conhecia a Casa do Caminho.
    Compreendo o teu "coração pequenino" e cada vez mais penso na fortuna e no luxo que é viver no seio de uma família... é arrepiante imaginar uma criança chegar à Casa do Caminho assim, como tu descreveste. Por melhor lugar que seja, por melhores pessoas que sejam (um bem haja por existirem!) são "desconhecidos"...

    ResponderEliminar
  2. É verdade quando se diz que o amor pelos filhos é incondicional, ou pelo menos deveria ser, mas infelizmente nem sempre é assim.
    Incondicional é, sem dúvida, o amor pelos pais porque mesmo sendo vitima de outros tipos de amor (doentios e nefastos) um filho ama sempre os seus pais, acima de qualquer dor ou sofrimento (pelo menos enquanto pequeninos, enquanto não conhecem outro tipo de amor, ou melhor dizendo, o verdadeiro amor).

    ResponderEliminar
  3. Sofia Ribeiro Fernandes26 maio, 2013

    Eu, doce Sofia (risos), como tu dizes, também adorei conhecer-te...Em resumo, foi um dia cheio de amor...

    ResponderEliminar
  4. Adorei tudo!! Não me canso de repetir ;)

    ResponderEliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share