Ora dá cá um e a seguir dá outro - parte II

4.5.13
Ainda a propósito do post anterior, recebi alguns emails a perguntar o que se deve fazer nessas situações...

Não sei, sabes?

Porque depende se para ti é importante que os teus filhos dêem um beijo ou se estás nas tintas. Ou se é importante que o façam com a família mas com os de fora é mais o 'temos pena'.

Aquilo que aconteceu ontem até foi muito fixe. Primeiro porque fiquei mesmo sem palavras e sem capacidade para responder. Mesmo! E mostrou-me que, na verdade, não temos de responder sempre. A única coisa que houve foi uma troca de olhares entre mim e a minha filha e um encolher de ombros meus como quem diz 'olha, se quiseres dizer alguma coisa, diz... acontece (apanhar pessoas assim pela frente!)!'
É que situações destas ela vai ter pela vida fora e eu não preciso, não posso nem quero defendê-la em tudo. 

Por isso à questão ' o que é que se deve fazer', a minha resposta é mesmo, não sei. Depende daquilo que tu própria queres.


Mais, sobre as birras dos adultos.

Site AQUI
Facebook AQUI
Blogue AQUI

2 comentários:

  1. Como já disse anteriormente, costumo ser eu a dizer às pessoas que o J não gosta de dar beijinhos, claro que o faço porque tenho notado que ele fica acanhado e tem vergonha de dizer que não.Sei que é um martírio para ele e não o vou sujeitar a isso.Somos cúmplices nesta questão e sou a primeira a dizer-lhe que não faz mal, nem todos temos de gostar de dar beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Olá!
    Eu também passo por situações semelhantes. Costumava dizer que a Inês não gosta de beijos! Depois, ela própria começou a dizer que ela não gosta de beijos. O que não é verdade...
    Então, agora justifico: Ela não gosta de dar beijos a estranhos!
    Assim, acho que fica bem perceptível, e mais verdadeiro.
    É que a Inês ainda só tem 4 anos, e acho que tenho o dever de a acompanhar no relacionamento com este tipo de situações.
    Ela aprenderá também a dizer algo quando chegar o momento.
    Quanto à resposta da senhora. Também eu fiquei sem palavras! Mas gostaria de ter algo preparado para este tipo de situação. Afinal, também já ouvi respostas semelhantes e ainda continuo sem palavras!
    Acho que também temos o dever de dizer alguma coisa que possa "educar" essas pessoas, para que aprendam que isso não se diz a uma criança.
    Não é só pelos nossos filhos, mas por uma questão de educar para criar um mundo mais justo para as crianças.
    Beijinho

    ResponderEliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share