Olha para o que eu digo...

3.4.13
A maior parte dos pais deseja que os filhos escutem aquilo que eles estão a dizer.
Ou melhor, a maior parte dos pais deseja que os filhos obedeçam e que façam (logo 'escutem') aquilo que eles estão a dizer.
No que respeita ao obedecer, a coisa torna-se mais ou menos fácil de acordo com a personalidade da criança e também com aquilo que ela considera legítimo pedir-se. Sim, sim, eles também se questionam muito.  E depois decidem se respondem com um sim ou com um não. O que não quer dizer que não venham a acatar a ordem.

Mas este post não é sobre obediência e sim sobre escuta.

Queres que os teus filhos escutem o que dizes? Então anota isto:

- Escuta primeiro (esta já sabias, aposto, mas o segredo é escutar até à última nota!).
- Deixo fazer-se silêncio. Ou seja, escuta m-e-s-m-o até à última nota. Para que tenhas a certeza que ele disse tudo.
- Responde olhando nos olhos, sempre que possível.
- Pede feedback. E não é só 'percebeste?'. Pede para repetir, reformular. Pergunta-lhe porque é que ele vai fazer da forma A em relação a uma ordem/pedido que lhe fizeste (assim ele põe a cabecinha a funcionar e começa a interiorizar a razão das regras).
- Não tens sempre de dar uma resposta, imediatamente. Podes perfeitamente dizer 'hum..., ok, a sério?, e que mais?' - o objectivo é pôr também a criança a falar, a pensar... a gente também não tem de saber tudo, não é?
- Procura falar sempre de forma não agressiva. Meiga. Mesmo quando estás chateada. Podes mostrar a tua indignação, frustração, não permissão sem agressividade. Parece uma coisa impossível, mas não é! Treina-se!Olha o Berra-me baixo já em Maio!

- 'Oh mãe, olha que carro giro!'
- 'Não é nada, é feio e aquele que tens lá em casa serve muito bem!!'

Mas por acaso ele disse que queria aquele carro? Ele só disse que o carro era giro. Se também achas giro ou interessante porque é que dizes que não é?
Imagina que vais na rua com o teu marido e dizes, ao ver uma montra 'ah que casaco giro' e ele te responde tal e qual. Como é que te sentes?
Mas se ele dissesse 'por acaso é giro', tu ficavas bem, não te sentias na defensiva e se calhar nem tinhas necessidade de pensar 'olha que parvo!' e de ficares ali a insistir que o casaco é giro. É ou não é?

E pronto, assim em forma de resumo é isto. Reconhece, escuta (muitoooo!) e fala num tom amistoso e gentil. Tens tudo para que o teu filho te escute!

P.S. By the way, são crianças e há alturas em que não conseguem mesmo sintonizar. Se faz favor, ajuda-as! :)

4 comentários:

  1. Mas são tão teimosinhos... Obrigada por mais este post, Magda. E cá em casa continuamos o Berra-me Baixo... Até os meus filhos se casarem???? Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. hmmm... até terem netos? ahahahha! Beijinhos!

      Eliminar
  2. É verdade! E além disso, penso sempre que as crianças também precisam de desobedecer e experimentar, e nada como o ambiente seguro do lar para o fazer. Adoro a ideia do desafio Berra-me Baixo. Vou tentar, e acho que vou partilhar essa tentativa com a minha filha! Obrigado! Bjs

    ResponderEliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share