Fala quem sabe - do desafio do Berra-me baixo

6.3.13

O que vais ler abaixo é um dos muitos testemunhos de quem participou no Berra-me baixo. Veio em jeito de feedback e passa a ser um post porque vale a pena ler! Obrigada, Sara!

"Venho finalmente escrever um "testemunho"! 

Participei no desafio berra-me baixo de Janeiro e essa participação foi, sem dúvida, o primeiro(?) passo no caminho para a reflexão e alteração da minha relação com as minhas filhas. Desde logo senti que eu ter uma atitude mais calma e compreensiva contribuía para que elas estivessem calmas e bem dispostas. 

Embora seja algo de que nao tenha particular orgulho vou contar-te um momento que nos aconteceu que também foi decisivo. Creio que ilustra muito bem todo o meu processo "berra-me baixo" e poderá ser útil a outras mães, caso decidas partilhar.  Passou-se num dia de semana, em que eu estava sozinha com as duas (acorda-las, vesti-las, lava-las, alimenta-las, gerir conflitos, etc), já estávamos a sair de casa e, claro, atrasadas. Enfiei a mais velha no carro e meti o cinto, entre muitos "despachem-se" e "depressa" e "rápido" e "vá" . Não gritei propriamente, mas estava enervada. Depois de pôr o cinto a maior, dei a volta ao carro e apressei a pequenina. Para ser mais rápida, peguei nela ao colo e acelerei o passo. Ela começou a chorar. Sentei-a na cadeirinha e olhei-a nos olhos. Ela que, ainda fala tão pouco e tem tanta dificuldade em gerir sentimentos, comunicou TÃO bem! Parecia dizer-me, "porque é que estás assim? Porque estás a fazer isto?" e a resposta na minha mente foi um mero: não sei! Sim eu dependo do meu trabalho, sim não posso chegar constantemente atrasada. Mas a verdade é que por norma chego cedo, e se de vez em quando chegar 5 ou 10 min mais tarde não há problema. Vale a pena sacrificar as manhãs com as minhas filhas e a minha relação com elas por causa desses 5/10 min? É por me enervar que chego mais cedo? 

Foi mais um ponto de reflexão e posso garantir que as nossas manhãs estão mais calmas e agradáveis. Elas continuam a fazer as suas birritas, a minha reacção é que está a ser diferente e isso, muda tudo! 

Nada disto aconteceu overnight, ok? Como disse participei no desafio de Janeiro e estamos em Março! Mas tem sido um trabalho constante e diário. Afinal se elas são as pessoas mais importantes na minha vida, é na minha relação com elas que eu tenho de investir mais e sempre!
Ate quando a minha pequenina bate (sim, ela bate, dá pontapés, belisca, dá palmadas! E causa-me tristeza e preocupação), ate nesses momentos eu tenho sido mais empática, mas todos os dias lhe digo que mãe não gosta e fica triste com esse comportamento! Que não se pode bater aos amigos, à irmã ou à mãe... Todos os dias me pergunto se tenho as atitudes mais correctas com ela, mas se ela me bate e que FALO com ela e digo que não gostei que ela fizesse aquilo, e ela imediatamente me dá um abraço ou pede desculpa à irmã, sinto que estou a vencer a batalha e e efectivamente ensina-la a gerir as suas emoções!  (de qualquer forma, toda e qualquer dica neste campo é muito bem vinda!)

Finalmente, que o texto já vai longo, não quero deixar de referir os últimos focos de mudança! Comecei a destralhar a casa (obrigada Rita@ the busy woman and the stripy cat)  e com os destralhar reflecti sobre a influencia do excesso na minha vida. Sobre o excesso de preocupação com a arrumação da casa, o excesso de preocupação com a vida financeira. Sobre como estas coisas me esgotam e deixam sem espaço mental para aproveitar aquilo que me dá realmente prazer. 

Desde então já libertei a minha casa de muita coisa, que dei para a igreja, dei a quem precisa, outras estou a vender e vou aproveitar esse dinheiro para trocar a cómoda - em vez de mexer nas finanças correntes. Este é mais um processo em desenvolvimento, nao se liberta uma casa de família de um dia para o outro, mas, já me dá paz de espirito sentir que a casa, e eu própria, está mais livre. Tenho pesquisado muito e pensado ainda mais acerca de quem eu quero ser/fazer.

Estou certa que já encontrei o caminho, agora é percorre-lo!

Tudo isto começou com a vontade de mudar, e foi o desafio berra-me baixo que me abriu  as portas a mudança. Por isso muito obrigada! Nem sempre é fácil, mas tendo o objectivo ultimo em vista é muito mais fácil. Esse objectivo é apenas e tão só ser uma melhor Mãe, uma pessoa melhor e, acima de tudo, mais feliz, sempre!

Sara"

3 comentários:

  1. Gostei muito deste testemunho e fiquei feliz por esta mãe. Queria-lhe pedir se posso fazer um post no meu blogue para introduzir o desafio, referindo o "Mum's the boss" e explicar porque coloquei a figura no blogue. Muito obrigada.

    ResponderEliminar
  2. Adorei ler. Não me inscrevi no desafio, mas tenho-o feito diariamente. Vou procurando mudar a minha atitude para com o meu pimpolho. Admito que muitas vezes chorei por ter sido "bruta" com ele e por ter visto na sua expressão que o assustei, que o magoei. A vida é uma correria pois entramos na onda e deixamos que esse ritmo nos controle.

    ResponderEliminar
  3. Olá Magda, Acabei de aceitar o desafio!! É um grande passo para mim que estava hesitante em se ia ou não conseguir comprometer-me...

    http://vidasdanossavida.blogspot.pt/2013/03/desafio-berra-me-baixo.html

    ResponderEliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share