Caim e Abel... ou o mito da chegada de um irmão

14.12.12











Antigamente dizia-se que, quando estava para chegar um mano novo, a mãe devia dar menos mimos e menos atenção ao filho que já cá estava, para que ele se fosse habituando à ideia que, a partir de um certo momento, iria receber menos carinho, menos mimo, menos amor.




Só de pensar nesta ideia, fico totalmente arrepiada!




Vamos lá por partes então.




Em primeiro lugar, e a menos que haja algum desequilíbrio mental, os pais não dão menos carinho, menos mimo ou menos amor. Os pais passam a repartir o tempo de antena por duas pessoas em vez de uma. O amor continua lá, o mimo e o carinho. E também o cansaço! E o tempo, que não estica, e que agora é a dividir por dois. Ou três. Ou mais!



O mimo, como disse a minha amiga Ana Melancia, na entrevista da Sic onde estive eu, ela e a Kiki, nunca é demais. Isso não existe nem estraga ninguém. O que estraga é a falta de limites. O que estraga é a falta de carinho ou atenção ou mimo quando eles mais precisam.



Há uma frase que diz 'Dá amor ao teu filho sobretudo quando ele parece merecer menos'. Consegues ver o alcance desta frase? Consegues ver a mudança que temos de fazer no nosso andar de cima?


Com a chegada de um irmão procura reforçar esse amor. E começa antes de ele nascer. A ideia é encher-lhe o copo com afetos, fazer com que perceba que é querido na nossa família. A chegada de um irmão pode dar-lhe a sensação que já não é suficientemente querido...

Há uma frase que diz 'Kids spell love t-i-m-e'. Se passas menos tempo ou tempo de qualidade inferior, eles estão no direito de pensar que gostas menos deles. Se até acontece entre o casal depois de uma criança nascer (o marido ou a mulher estarem menos disponíveis um para o outro), também acontece com os miúdos. Ou achavas que não?

E como é que se reforça esse amor? Dizendo muitas vezes 'eu gosto de ti'? Sim, mas mais do que isso, mostrando! Neste caso as palavras valerão de pouco... Interessando-te, genuinamente, por ele. Brincando mais e melhor. Castigando menos e escutando mais. É que ralhar é o caminho mais fácil. E é também o caminho mais longo ou até o inverso para chegarmos ao coração de quem quer que seja...






Entretanto, de 26 a 31 de Dezembro 2012 podes realizar uma sessão de coaching parental sobre este tema. O que é que tens de fazer, caso queiras participar?


Consulta AQUI mais informações.


Para conheceres o feedback das sessões de coaching, vê a opinião desta mãe AQUI e AQUI e destas outras mães também.


Para te inscreveres, é AQUI. Ou envia-me um email para blogmumstheboss@gmail.com


Site AQUI

Facebook AQUI

Blogue AQUI

2 comentários:

  1. Por cá seguimos este caminho, o do mimo a dobrar! (menos mimo para se ir habituando???! Há com cada uma!!) :)

    ResponderEliminar
  2. Eu é que agradeço as nossas sessões de coaching! Bjs, Mafalda (vidasdanossavida.blogspot.pt)

    ResponderEliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share