As birras dos pais

4.8.12
A pedido, aqui deixo o texto que publiquei, em Março, sobre as birras dos pais :) Boa leitura!!





Nesta coisa da Parentalidade Positiva, existe uma coisa que me faz sempre sorrir: a birra dos pais! Ah pois é, senhoras e senhores! Nós também fazemos as nossas birras... Queres ver?

-       Se não vens comer já, não há mais playstation!
pimba, vais já ver quem manda aqui!

-       Dá-me lá um beijinho! Não dás? És feio!
que maldade e que mentira, ainda por cima! Os miúdos têm fases (de beijos e não beijos)e, vá lá, já há mais gente a perceber isso!

-       Pára de bater! Só os meninos feios é que batem!
maldade, mentira! Não se bate porque isso magoa os outros, eu não quero e não resolve nada. Ainda por cima, os putos, quando têm sono, fazem destas coisas. Ok, há alturas em que a coisa passou um tal estágio que já pode ser mais do que isso MAS há sempre, mas sempre uma falta qualquer e tu, enquanto pai e mãe, tens de descobrir o que é. Por aquilo que tenho vindo a ler (e faz todo o sentido) um miúdo que está bem emocionalmente não bate!

-       Pára de brincar com o pacote do açúcar! Olha que vem aí a polícia     esta farto-me de a ouvir – dá mais trabalho explicar porque é que aquilo não se faz, tirar o pacote ou eu sei lá do que dizer que vem aí o fiscal, não é?

-       Tira o dedo da boca que vais ficar com ele desformado/vais ficar sem dedo
E se disseres a verdade? E se disseres que os dedos têm micróbios? E se o tiveres de repetir mil vezes, vem mal ao mundo? E se disseres que estás cansad@ de lhe pedir isso? E se lhe disseres apenas ‘dedo!’? Experimenta! É que eles também se esquecem, tal e qual como nós... ainda para mais, é fonte de prazer...

-       Bates-me? Pega lá que é para aprenderes! O quê? Eu sou fei@? Vamos já ver se me voltas a falar assim!
E pronto, é isto... bater está mal, pois claro, mas se o faz é porque se calhar está chateado e não sabe explicar... em vez disso, age com calma e faz o que gostarias que te fizessem numa altura em que estás zangad@ É que bateres por cima, acho eu, não resolve grande coisa, pois não? Achas que o teu filho te está a desrespeitar? Procura ver mais longe do que isso, boa?

-  olha que vem aí o bicho mau que te leva se não estiveres a dormir
A verdade é que os miúdos precisam de descansar e dormir. Precisam. E é isso que lhes temos de dizer e explicar. E explicar que é assim que eles crescem (em altura e na cabecinha). E quando acordarem, vão estar cheios de energia para continuarem a brincar. Não há bicho mau, ok? Não há!


O que é que ganhas com isto tudo?

Primeiro, não estás a fazer com que actuem com base no medo. Estás a falar a verdade e estás a respeitá-los enquanto seres humanos que são. E, compreendendo a verdade, vão aceitar. ‘Ah e tal, tu não sabes como é o meu filho.’ Pois não, não sei. O que sei, é que eu prefiro falar verdade com a minha do que saber que ela faz o que quer que seja porque tem medo de uma coisa qualquer. E isso faz, pelo menos para mim, toda a diferença. Claro que dá trabalho, claro que demora mais mas, depois de ela entender, ela aceita e, muitas das vezes explica o motivo ;). Sê firme, clar@. E repetitiva!

Segundo, é com isto que eu construo uma vinculação ainda maior porque, a cada passo que dou, a cada falar verdade com ela, estou a fazer com que a nossa casa seja um lugar seguro. Porque a trato como uma pessoa, com base no respeito e tendo em conta a idade e a maturidade dela. Não a trato como um ser menos capaz nem tão pouco faço com que actue com base no medo. Mas também não faço dela um mini-adulto porque não o é. É uma crianças que precisa de orientação. Educar é isso, é o-ri-en-tar!
E, aqui entre nós que ninguém nos ouve,  se há alguém ‘menos capaz’ sou eu se tenho de usar estratégias como o medo ou a punição.

Mas, e se eu não os punir, como é que eles aprendem?
Com os nossos comportamentos, estamos sempre a modelar e a influenciar os comportamentos dos nossos filhos. Eles aprendem porque te sabem justo, sério e coerente. Aprendem porque sabem que falas a verdade. Aprendem porque, no respeito que tens por eles, na empatia que mostras, eles devolvem tudo isso em igual respeito e empatia.
Ah, isso não deve ser bem assim, pensas tu... Pois... ;) Vá lá, give peace a chance e segue, sem medos... Com persistência, firmeza e muito amor. E depois partilha aqui!



FARO  |  FUNCHAL

3 comentários:

  1. Adorei! Nem sempre consigo evitar as minhas birras de mãe, sim, confesso também ter os meus dias... Mas não podia concordar mais com este texto!

    ResponderEliminar
  2. Hoje vi uma miuda para aí de 5 anos a berrar e a chorar e os pais a gritarem com ela para parar e depois a gozarem com ela os dois adultos contra a crianca, e a minimizar o sofrimento dela como se fosse a coisa mais estupida do mundo. O pior de tudo é que esta estratégia além de ferir os sentimentos da miuda näo resultou para os pais - porque ela continuou a berrar a rua toda. Nem a ouvi parar...
    Lembrei-me logo deste post e das birras dos pais...

    ResponderEliminar
  3. Fartei-me de rir ao ler este post... por ser tão REAL!!!

    ResponderEliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share