As Marias e os Joãos deste mundo

18.6.12
Tornar-se dador de medula óssea deveria ser obrigatório. Tal e qual como os mandamentos. Não matarás. Doarás medula óssea.

Se isto não é possível (não creio que dê para escrever na tal pedra), pergunto-me se os médicos de saúde não poderiam ter um campo lá nas receitas deles para que, caso o paciente aceitasse, e no dia em que fosse tirar sangue para fazer as ditas análises, pudessem ficar com um bocadinho do sangue daquela pessoa, para este efeito.
Enfim, se calhar era uma confusão mas podia-se explorar melhor esta questão.

Quanto ao resto... há tantas crianças a precisarem. Uma delas é a Maria João. 10 anos. Até ao momento, sem dador. O tic tac está a contar, e quanto mais tempo passa, mais os corações ficam apertadinhos.

Se ainda não foste, vai! Pela Maria João e por todos os meninos e meninas, grandes e pequenos, que precisam.

Doar medula óssea é devolver a vida! E não custa mesmo nada!


E se organizasses uma recolha aí na tua empresa? É grátis e podes até envolver empresas vizinhas. Chamas uma equipa e eles vão aí. 
Podes colocar isto no âmbito de um projecto de responsabilidade social, que só fica bem! É uma ideia! E todas elas são boas! Por isso, toca a fazer as coisas acontecerem!

9 comentários:

  1. Respostas
    1. desejo muito francamente que se encontre um dador e que se descubra a cura! MESMO!

      Eliminar
  2. CLAP CLAP CLAP!!!

    Eu tb acho que devia ser obrigatório! No cartão de cidadão, além dos 20 números que lá vêm, devia vir tb o nº de dador!!!

    ResponderEliminar
  3. Infelizmente, só quando há casos de pessoas famosas, como o filho do Carlos Martins, é que as pessoas se lembram destas coisas... Eu já sou dadora há vários anos, até desmaiei no dia em que fui tirar sangue para ser dadora (porque tiraram imenso!!), mas não hesitarei se um dia me chamarem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu penso de outra forma - casos como o Gustavo dão visibilidade à questão e sensibiliza mais gente! E as pessoas vão pq se sentem tocadas. Doar, nestes casos, é para todos e não só para um. Esse é o lado que eu olho!
      Eu fui doar pq tomei conhecimento de um caso, há muitos anos, e fiquei muito sensibilizada. Lembro-me de nem ter almoçado para ir fazer isso. E porquê? Porque falaram disso na TV! O meio, neste caso, pouco importa!

      Eliminar
  4. Eu já sou dadora. E acho a tua ideia excelente. Em Dezembro, propus á escola das minhas filhas, a organização de uma recolha, que eles aceitaram e veio a acontecer em Fevereiro, com 143 dadores. Acho que propor nos infantários é uma boa ideia porque os pais, normalmente, são solidários com esta questão, embora ainda haja muito, mas muito medo. Na escola das minhas filhas, nem uma educadora faltou. Tornaram-se também dadoras de sangue.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bravo, Flor Guerreira! Muito bom! É mais uma ideia!

      Eliminar
  5. Já sou,... dadora. Pelos vistos compatível, ainda não! :(
    Espero que rapidamente apareça um dador para a Maria João.

    Malta, toca a doar. Não custa nada e pode salvar alguém.

    ResponderEliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share