De que lado estás?

4.3.12
Amanhã temos a grande entrevista com a Dra. Laura Markham. 

Para te aguçar o apetite, ouve o que ela diz sobre se devemos, ou não, dar uma palmada aos nossos filhos, nesta pequena conversa!

A sério, vale mesmo, mas mesmo a pena. De que lado estás? 

6 comentários:

  1. Independentemente do lado que estou, confesso que a tradução me incomoda. Spanking, traduzido para o meu português é espancar. E espancar é muito, mas muito, diferente duma simples palmada no rabo. Independentemente de convicções e ideologias, não se pode querer comparar uma palmada no rabo a um comportamento abusivo, descontrolado e, com raiva e frustração associadas, que é "espancar" uma criança. Não posso sequer conceber que alguém me diga que estas 2 acções produzem os mesmos efeitos no desenvolvimento duma personalidade.
    E, dito isto, aguardo a entrevista!

    ResponderEliminar
  2. Bater ou dar palmadas como método de disciplina, NUNCA!
    Uma palmada dada na hora certa, numa situação em que a criança (criança! Tem de haver consciência do mau comportamento) está fora de controlo e fora dos limites, como efeito surpresa para a trazer à terra e parar tudo? Sim.

    ResponderEliminar
  3. Bem... É preciso ter cuidado com a tradução! Spanking, leva-nos logo para espancamento! E se ouvirmos o que elas dizem, pelos vistos, uma palmada no rabo é também chamada de spanking! Tal como a mãe que "bate", eu também os aviso duas vezes, explico porque não o podem fazer, sento-a um minuto e depois chamo-a para lhe explicar porque esteve sentada e o que fez de mal. Mas se depois dos avisos e das explicações eles (ela porque ele ainda não conta) continuarem a fazer, dou uma palmada no rabo. É muito raro fazê-lo porque geralmente ela ouve-me, entende e pára. No caso do Vicente que ainda só tem um ano e meio, é mais à base das caras feias, dos Ai-Ai! e do Não-não! Se ele insiste, eu digo sempre Tau-tau na mão! E dou uma palmada na minha própria mão. Ele já entende e quando faz asneiras e eu digo Ai-ai Vicente! Ele dá uma palmada na mão dele e diz Tá-tá! hahahahah
    É complicado julgar as pessoas. Não podemos comparar um pai que dá um estalo (ou vários) na cara, ou bate com um cinto, a outro que dá uma palmada no rabo muito raramente. Os fundamentalistas acham que ambos batem, eu acho que não é bem assim! :)
    Mas venha de lá essa entrevista! ;))) Beijinhos***

    ResponderEliminar
  4. Só agora li a resposta da Melancia! Basicamente o mesmo que eu disse! hehehehehe

    ResponderEliminar
  5. Sem dúvida que a palmada no rabo é usada lá em casa. Não todos os dias, não porque sim, não por tudo e por nada. Já tive que dar uma palmada em várias situações, umas que não me orgulho ( a quem nunca aconteceu dou os meus parabéns!), em que estava cansada demais e eles birrentos demais. Mas depois enchi os de beijinhos porque rapidamente percebi que tinha sido um "despejar" de cansaço. Mas a palmada, "educacional" é usada apenas quando se portam mesmo muiiiito mal (só na mais velha que tem 3 anos) e quando o descontrolo é tal, como diz a ML, que é a única forma de a "trazer" à terra. Mas normalmente uma boa conversa, uma boa negociação ou um bom "ir de castigo" durante 2 minutos resolve muito bem o dia a dia. ah, e palmada não é espancar, não passa de a palmada que todos levámos no rabo em crianças.

    ResponderEliminar
  6. Credo a mäe tem a casa perto de uma auto-estrada e deixa um miudo de 2 anos à solta e bate-lhes se eles forem para a estrada??!
    Sou só eu ou näo acham que uma gradesinha no jardim seria essencial para evitar mortes e palmadas?

    Por mais voltas que dê näo consigo achar que as palmadas säo uma forma de educar bem uma crianca.
    Já dei, e fico sempre com uma sensacäo esquisita de estar a perder a cabeca e de näo estar a fazer o que é certo...

    ResponderEliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share