12 Perfeccionismo e Optimalismo_ Semana 12 - Projecto Even Happier 52

20.3.12
Passaram 12 semanas desde o início do ano. Sabendo que são 52, contas feitas, faltam mais outras 40 até ao dia do Reveillon. E pondo isto  de outra forma, faltam mais ou menos 4 blocos de semanas idênticas... Assusta-me a velocidade a que os dias e as horas passam.


Mas como este post não é sobre estas coisas, vamos ao que interessa!

Esta semana, o meu amigo Tal Ben-Shahar explica-nos que a diferença entre o perfeccionismo e o optimalismo reside no facto de o primeiro recusar a realidade, enquanto que o último, aceita-a. Ok, explicação apreendida! E mais?

Trocando a coisa por miúdos, isto quer dizer que um perfeccionista é um chato! Pelo menos é o que me apetece dizer, depois de ter lido a explicação do Tal Ben-Shahar. O perfeccionista quer que tudo seja perfeito. Pois claro que quer, onde é que está a novidade? E, se for contrariado, ou as coisas não correrem da forma como ele quer, fica desmotivado e amuado. Como se diz agora, tem uma dificuldade grande em gerir a frustração. Já o optimalista sabe que a vida é feita de ‘ups and downs’ e recebe aquilo que não corre tão bem como...oportunidades! A sério? Yep! Mas, aqui entre nós que ninguém nos ouve,  eu já estou fartinha de ouvir que ficar no desemprego é uma boa oportunidade! Eu sei, eu sei! Eu sei que há cenas que acontecem que são uma excelente oportunidade para outras mas... Mas a verdade é que nem sempre eu consigo ver assim. E sobre isto já falei aqui.

Adiante! Se as coisas nem sempre acontecem como queremos é porque a vida é mesmo assim – faz parte, digo eu e diz o Tal. E eu tenho é de conviver, da melhor forma com isso, arranjando estratégias que me satisfaçam para dar a volta. Se vejo isso como uma oportunidade, ou não (falo de se ter a noção que é uma oportunidade), isso não interessa. O que interessa é que fracassar é normal – não que eu goste, longe disso, mas faz parte.

Na verdade, um optimalista é aquele que aceita os limites e as contrariedades, estabelecendo objectivos à sua altura para os saborear depois. Capisce, agora?

Exercício da semana:
1)   Já deste as graças esta semana? Eu tenho dado por mim a dar mais, com mais naturalidade – é uma cena que já me assiste quase automaticamente. Eles dizem que nós levamos 7 semanas a criar um hábito – deve ser...

2)   Quando és confrontad@ a uma situação chata, qual é a tua tendência? Negar as evidências, procurar fazer mais e melhor ou, analisando bem as coisas, deixas cair ou/e mudas de rumo? Qual é a tua tendência natural? Qual é o teu padrão de comportamento?
Eu? Eu sou mesmo optimalista, até porque a minha tendência natural está longe de ser perfeccionista – angustia-me! Eu sou mais do tipo borboleta, hoje aqui, amanhã acolá!

2 comentários:

  1. eu cá sou dos chatos. não pela perfeição "per si" mas por não entender fazer menos do que posso. nem passa pela questão de "aceitar" a realidade, outro sim, influenciá-la de maneira positiva com as minhas pegadas no caminho. e na tentativa de alcançar qualquer objectivo, falhando, encontro sempre novos sonhos. e depois há o contra-senso… se a vida "nos dá oportunidades" não tenho de as agarrar? "agarrar" vai além de apenas as aceitar… de apenas estabelecer objectivos… devo viver ao sabor das ondas desse mar?… ou surfá-lo com garra e em pleno?… e um dia olhar para trás e, ao pôr-do-sol, sentir que fiz tudo o que pude fazer nesta praia.

    ResponderEliminar
  2. muito bom, o teu comentário, Mano Velho!

    ResponderEliminar

Obrigada por leres e por comentares!
Todos os comentários são bem-vindos excepto os que 'berram alto'...Esses são, naturalmente, eliminados!

linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share